Sunday, June 05, 2005

Julgamento de Gomes Freire de Andrade - Paulo

Durante uma forte guerra entre absolutistas e liberais, onde cada um tenta expressar as suas ideias mas ninguém pode falar, Gomes Freire de Andrade espera incessantemente pelo seu julgamento. Acusado de conspiração e traição a El Rei, o General prepara a sua defesa em tribunal.

Chega a hora do julgamento e todos entram na sala de julgamento. Por fim, entra o réu. Começando o julgamento, o Rei faz a primeira pergunta:

Rei:

- General, o que tem a dizer em sua defesa?

Gomes:

- Em primeiro lugar gostaria de dizer, que vossa excelência está a cometer um grande erro, acusando um homem inocente…

Mesmo antes de Gomes Freire de Andrade acabar a frase, todo o tribunal levantou-se numa euforia clamando: “Mentiroso!!!”.

O Rei interveio:

Rei:

- ORDEM!!!

- General, escolha bem as palavras que vai proferir, pois poderão ser usadas contra si, além disso deve-me lealdade e respeito…

Beresford:

- Sua alteza, permita a Vicente relatar a sua acusação. Assim veremos que tipo de sanção deveremos aplicar ao general.

Vicente:

- Passou-se que, no dia 16 do presente mês, estando eu regressando a casa, ouço três vozes na ruela à minha direita. Aproximando-me pude ouvir que conspiravam contra sua Alteza, organizando uma revolta contra o palácio. Impressionado aproximo-me para ouvir melhor a conversa, e reparo que entre eles estava o General Gomes Freire de Andrade.

Beresford:

- Não há dúvida, ele é culpado. Merece morrer.

Rei:

- Calma! General, tem alguma coisa a dizer em sua defesa?

Gomes:

- Isso é mentira. Toda gente sabe que nesse mesmo dia estive ausente da cidade.

Matilde:

- É verdade sua Alteza. Juro pela minha vida, que é verdade.

Falcão:

- Vossa alteza, o que Vicente diz não tem ponta de verdade, eu próprio estive com o General Gomes nesse mesmo dia.

Beresford:

- É mentira, tenho testemunhas em como nesse dia esteve cá na cidade!

Rei:

- Bem, realmente mandei procurar o General Gomes nesse mesmo dia para vir a mim e não foi encontrado. Não parecem ser verdade as acusações que fazeis.


Beresford:

- Não! Não pode ser, ele é culpado! Eu exijo a minha cota parte da recompensa.

Rei:

- General Gomes, o que tendes a dizer?

Gomes:

- Visto que já se viu quem aqui está a mentir, gostava que se castigasse o mentiroso. Além disso, eu nunca iria incitar uma revolta contra sua excelência. Mas a verdade é que o povo vive na miséria e é fortemente explorado. Não existe equilíbrio entre os povos. O povo merece uma vida melhor.

Principal Sousa:

- Ele blasfemou! Veja vossa alteza, ele acabou de se incluir nos liberais. Ele é um deles. Ele está contra vossa Excelência.

Beresford:

- Não há sombra de dúvida, ele é culpado, merece morrer.

Gomes:

- Isto não pode acabar assim, eu estou inocente!

Rei:

- Realmente estava cego, não quis ver a realidade. Temos um inimigo entre nós, um liberal. Merece pena de morte. Merece ser decapitado.

Gomes:

- Piedade vossa excelência, eu tenho mulher e filhos….

Acusado assim de conspiração contra El Rei, o General Gomes Freire de Andrade foi condenado à morte, mas o povo não desistiu.

0 Comments:

Post a Comment

<< Home